O Poder do Perdão

Hoje trazemos um pequeno texto, que circula na internet sem autoria definida, para refletirmos sobre nossa convivência com aquelas pessoas que não temos muita afinidade.

Esse sentimento de antipatia pode ser decorrente de uma ofensa percebida, diferenças, erros ou fracassos, entre outros motivos. Alimentar esse tipo de mágoa só nos faz mal, pois começamos a manter um sentimento de ressentimento ou raiva contra a outra pessoa ou contra nós mesmos.

Por isso, perdoar é importante. O perdão é o ato de se desprender do ressentimento. Ele deve vir do coração, ser sincero e generoso. Não pode ser motivado por orgulho ou ostentação. O verdadeiro perdão se reconhece pelos atos e não pelas palavras.

O veneno pode estar em nós

A filha chegou para o pai e disse: Pai, não aguento mais a minha vizinha!
Quero matá-la, mas tenho medo que descubram.
O senhor pode me ajudar?

O pai respondeu: Posso sim meu amor, mas tem um porém…Você vai ter que fazer as pazes com ela para que ninguém desconfie que foi você, quando ela morrer.Vai ter que cuidar muito bem dela, ser gentil, agradecida, paciente, carinhosa, menos egoísta, retribuir sempre, escutar mais…Tá vendo este pozinho aqui? Todos os dias você vai colocar um pouco na comida dela. Assim, ela vai morrer aos poucos.

Passado os 30 dias, a filha voltou e disse ao pai: Eu não quero mais que ela morra!
Eu passei a amá-la. E agora? Como eu faço para cortar o efeito do veneno?

O pai, então, respondeu: Não se preocupe! O que eu te dei foi pó de arroz.
Ela não vai morrer, pois o veneno estava em você!

Quando alimentamos rancores, morremos aos poucos. Que possamos fazer as pazes conosco e com quem nos ofendeu.

Que possamos tratar aos outros, como gostaríamos de ser tratados.
Que possamos ter a iniciativa de amar, de dar, de doar, de servir, de presentear…e não só a de querer ganhar, ser servido, tirar vantagem e explorar o outro.

Que o amor de Deus nos alcance todos os dias, pois não sabemos se teremos tempo de nos purificarmos com este antídoto chamado perdão.